LEÃO NA ELITE!!!

LEÃO NA ELITE!!!

PRECE DE CÁRITAS

PRECE DE CÁRITAS

terça-feira, 1 de abril de 2014

Frustrado por ficar de fora, F. Azevedo assiste 1º jogo da final pela televisão.

Azevedo tem história especial no Sport e no Ceará, mas vai ficar de fora do 1º jogo da final (Foto: Aldo Carneiro / PE Press).

Atacante está vetado da partida contra o Ceará, por ter sido expulso contra o Santa Cruz. Como extraiu um dente, não poderá estar na Ilha do Retiro, nesta quarta-feira.

Com a camisa do  Sport já são 120 jogos - e nenhum título -, marca alcançada no último domingo, contra o Náutico, pelo Campeonato Pernambucano, em três anos de contrato. Pelo Ceará, foram 71 partidas em duas temporadas (2011/2012). Tempo suficiente para que Felipe Azevedo criasse uma enorme identificação com as equipes e uma expectativa especial para a final da Copa do Nordeste, decidida entre os clubes. 

No primeiro embate da final, nesta quarta-feira, na Ilha do Retiro, o jogador terá que se contentar em acompanhar das arquibancadas. Suspenso por ter sido expulso na semifinal, contra o Santa Cruz, ele não escondeu a frustração por ficar de fora da decisão.

- Bate uma frustração. A gente lutou o campeonato todo e, quando chegamos na final, tive que ficar fora. Principalmente pela forma como as coisas aconteceram. O jeito será ficar na torcida e viver essa sensação de estar em campo no segundo jogo. Será algo diferente e não consigo imaginar o que passará pela minha cabeça. Como o segundo jogo será o que define, fico feliz de poder participar.
Longe do gramado nesta quarta-feira, Felipe Azevedo revelou que não acompanhará a partida na Ilha do Retiro. Apesar da vontade, o jogador, que passou por uma cirurgia na boca, para retirada de um dente, foi aconselhado a não fazer esforços para poder voltar aos trabalhos nesta quinta-feira.

- Queria assistir ao jogo na Ilha, mas não irei poder. Aproveitei que não jogaria para retirar um dente e o médico aconselhou a evitar qualquer perigo. Então, irei acompanhar de casa e torcer pelo Sport.
No clube desde 2012, Felipe Azevedo sabe bem o valor que a conquista da Copa do Nordeste tem para o torcedor rubro-negro. Na avaliação do atleta, o título servirá, também, para alavancar o elenco para o restante da temporada.

- É um título muito importante. Não só para a torcida, como para todos os jogadores. É um título que nos dará uma vaga na Copa Sul-Americana e que nos dará uma visibilidade muito grande. Será difícil, mas vamos com tudo.

Por Recife - GLOBOESPORTE.

'Gorduchinha' é a bola para a final da do Nordestão entre Sport e Ceará.

Bola da final da Copa do NE (Foto: Elton de Castro).

Nome da pelota, inspirada na bandeira do Brasil, é uma homenagem a Osmar Santos.

Nesta terça-feira, o Sport treinou com a bola que foi especialmente desenvolvida para a final da Copa do Nordeste. Inspirada na Bandeira do Brasil, a bola leva o nome de “Gorduchinha”. Uma homenagem ao locutor Osmar Santos, inventor do famoso jargão "Pimba na Gorduchinha", que se transformou no maior sucesso em virtude das transmissões do narrador no fim da década de 1980.
 
Por Recife - GLOBOESPORTE.

Audiência para definir campeão de 1987 termina sem decisão no STJ.

Taça das Bolinhas também está m discussão junto desse processo (Foto: Divulgação).

Sport tem dois votos a favor contra um do Flamengo na disputa pelo reconhecimento do título brasileiro daquele ano. 

Continuação ainda não tem data para acontecer.

A novela judicial sobre o título brasileiro de 1987 ainda não terminou. Por falta de quórum, o julgamento desta terça-feira no Superior Tribunal de Justiça (STJ) foi interrompido e não tem data para ser retomado. O regimento exige que as decisões em recurso especial ocorram por maioria absoluta dos membros das Turmas. Esses colegiados são formados por cinco ministros, exigindo-se, portanto, três votos concordantes para se firmar um julgamento. Apenas três ministros marcaram presença na audiência e o placar ficou em 2 a 1 a favor do Sport.

Os ministros Sidnei Beneti e João Otávio de Noronha votaram a favor de manter o Sport como único campeão de 1987. A ministra Nancy Andrighi, relatora do processo, tinha como posição a divisão do título entre o clube pernambucano e o Flamengo. A votação continuará em uma próxima sessão com o placar em 2 a 1 a favor do Sport.

Dois dos cinco ministros não participaram do início do julgamento. Se os outros três ministros tivessem votado da mesma forma o processo estaria encerrado. Os advogados poderão renovar suas sustentações orais para que os ministros Paulo de Tarso Sanseverino e Villas Bôas Cueva tomem suas decisões.

A disputa entre Flamengo e Sport vem de longa data e aumentou em 2011, quando a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) reconheceu o Flamengo também como campeão de 1987. O Sport conseguiu na Justiça que essa decisão da entidade fosse revogada, cumprindo determinação judicial da sentença de 1994.

O Flamengo recorreu. O Tribunal Regional Federal da 5ª Região negou o recurso. O clube então buscou o STJ, com ação que segue em tramitação. A discussão acontece sobre o que foi decidido em 1994, se impede o reconhecimento do Flamengo como campeão de 1987 e o meio processual usado para obter a revogação da resolução da CBF. 

Outra intenção do Flamengo é provar, com o reconhecimento da Justiça, que foi o primeiro clube cinco vezes campeão brasileiro. Sendo assim, teria direito à posse definitiva da Taça das Bolinhas, alvo de polêmica com o São Paulo. O objeto está guardado na Caixa Econômica Federal.
Por Brasília - GLOBOESPORTE.

Mesmo com dúvidas, E. Baptista deve lançar Rithely no Sport contra Ceará.

Rithely perdeu espaço, mas pode reaparecer na equipe titular no lugar de Felipe Azevedo (Foto: Aldo Carneiro / PE Press).

Em trabalho fechado, nesta terça-feira, no centro de treinamento rubro-negro, técnico testa novas variações táticas e volante tem tudo para reaparecer entre titulares.

O primeiro jogo da final da Copa do Nordeste, contra o Ceará, nesta quarta-feira, fez o técnico Eduardo Baptista mudar a rotina do Sport. Pela primeira vez, o treinador optou por trabalhar no centro de treinamento do clube, em Paratibe, medida que serviu para que pudesse realizar um treino fechado. Isolado e sem a presença da imprensa, Baptista testou novas variações táticas. Apesar do mistério, até pelos elogios recentes ao atleta, a tendência é que o substituto de Felipe Azevedo, suspenso, seja o volante Rithely, que perdeu espaço no time nos últimos tempos.

Quando liberou o acesso, Eduardo Baptista realizou um recreativo e deixou claro que só irá liberar a escalação minutos antes do jogo.

- Escolhi o treino no centro de treinamento justamente porque na Ilha do Retiro nós não conseguiríamos evitar que vocês olhassem.

Tenho algumas dúvidas, mas revelarei 30 minutos antes do jogo.

Entre as dúvidas do treinador, o meio de campo aparece como sua principal dor de cabeça. Com Ailton confirmado, o treinador não definiu se escalará Danilo para fortalecer o setor ofensivo ou Rithely, que daria mais liberdade para os laterais.

No ataque, a tendência é que Eduardo Baptista entre com Ananias ao lado de Neto Baiano. Com isso, o Sport vai para o jogo com Magrão; Patric, Ferron, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa, Rithely (Danilo) e Ailton; Ananias e Neto Baiano. 
 
Por Recife - GLOBOESPORTE.

Procura por ingressos para final do Nordestão é intensa na Ilha do Retiro.

Torcida lota bilheterias para comprar ingresso para primeira partida da final do Nordestão (Foto: Elton de Castro).

Sport e Ceará devem jogar com casa cheia, nesta quarta-feira, no primeiro confronto da final da Copa do Nordeste; cerca de 17 mil entradas já foram vendidas até agora.

Às vésperas da primeira partida da final da Copa do Nordeste, contra o Ceará, a torcida do Sport fez fila, nas bilheterias da Ilha do Retiro, para garantir um dos 32 mil ingressos colocados à disposição dos rubro-negros. Mesmo com as entradas mais baratas já esgotadas (R$ 10, para a arquibancada atrás do gol da sede), a procura era intensa. 

Otimista com relação ao jogo, o estudante Caio Lima disse que o Sport entrará em campo reforçado pela torcida.

- É o momento de resgatarmos a nossa casa. Vamos usar a arquibancada para fazer pressão no Ceará. Vamos vencer por 3 a 0.
Mais comedido, Felipe Ramos aposta em um duelo difícil contra o Ceará, nesta quarta-feira.

- Estou otimista, mas acredito que será 2 a 1 para o Sport. Dois gols de Neto Baiano. Mas será um jogo difícil, pois o Ceará tem um bom time. 

Com a boa presença da torcida, a expectativa é que os ingressos se esgotem para o duelo contra o Alvinegro. Até a noite desta terça-feira, cerca de 17 mil tíquetes haviam sido comercializados. 
 
Por Recife - GLOBOESPORTE.

Testado no meio de campo do Sport, Ananias afirma preferir o ataque.

Ananias ficou encostado no DM por 15 dias
(Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press).

Recuperado após 15 dias, jogador está cotado para substituir Felipe Azevedo, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, no primeiro jogo da decisão do Nordestão.

De olho em outras saídas para a equipe, o técnico Eduardo Baptista testou o atacante Ananias no meio de campo, no coletivo que realizou, na última segunda-feira, entre os reservas e o time Sub-20 do Sport. Numa função diferente da que tem atuado, o jogador não conseguiu sobressair nem mesmo contra os garotos formados na Ilha. E foi sincero quando questionado em que posição prefere atuar, se for lançado no primeiro jogo da final da Copa do Nordeste, contra o Ceará: "Aberto no ataque". 

Pernambucanos e cearenses se encontram nesta quarta-feira, na Ilha do Retiro, e Ananias está cotado a voltar entre os titulares depois de 15 dias se recuperando de uma contusão na coxa direita e, posteriormente, de uma conjuntivite.

Ananias não emendou o discurso apaziguador, natural de alguns jogadores, que evitam se posicionar ao serem questionados sobre as suas preferências em campo. Não titubeou e deixou claro que se sente melhor perto do gol.

- Eduardo fez uma variação no coletivo caso eu precisasse fazer aquela função (no meio), mas gosto é de jogar aberto no ataque. Essa é a forma que eu venho jogando melhor. Mesmo assim, se ele precisar de mim no meio, também estarei pronto. Quero ajudar.

Recuperado da contusão na coxa, Ananias deve voltar na vaga do até então companheiro de ataque Felipe Azevedo, suspenso por ter sido expulso na semifinal, contra o Santa Cruz. Apesar de estar ganhando uma chance por conta da ausência de Azevedo, Ananias lamentou a perda.

- Sempre que um jogador está num momento individual muito bom e muito confiante, é ruim ter ele fora do time. Felipe vinha fazendo gols e jogando muito bem. Ele estava sendo importante para a gente e nós perdemos muito com essa saída.
 
Por Recife - GLOBOESPORTE.

No Sport, Aílton, ex-Ceará, dá dicas ao técnico Eduardo Baptista para a final.

Aílton alerta para o entrosamento do time do Ceará (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press).

Apesar de ter deixado Vozão em 2010, meio-campista atuou com cinco titulares do adversário do Leão na final da Copa do Nordeste: 'Sei como eles jogam'.

Sport e Ceará começam a decidir o título da Copa do Nordeste na próxima quarta-feira, em um jogo que vai colocar frente a frente velhos conhecidos. Se o Ceará pode se gabar de ter em seu elenco cinco ex-rubro-negros - Michel, Diego Ivo, Gabriel, Tadeu e Magno Alves -, o Leão também tem um jogador que pode ser importante nesta final. Ailton teve uma rápida passagem pelo Vozão em 2010 e trabalhou com vários jogadores do atual elenco alvinegro. Só do time titular, foram cinco: João Marcos, Magno Alves, Samuel, Vicente e Michel.

Ciente da importância das informações, Ailton confessou já ter tido uma conversa com o técnico Eduardo Baptista.

- Passei seis meses lá (em 2010) e sei como eles jogam. Eu conversei com Eduardo e procurei passar para ele o que conheci de perto. O Ceará tem uma equipe forte, rápida e inteligente.

No Sport desde a metade do ano passado, Aílton acredita que o Ceará pode levar um pouco de vantagem por já ter uma base formada há mais tempo. Segundo ele, pelo menos há três anos os cearenses jogam da mesma maneira.

- A equipe deles é forte e vem com o mesmo elenco há três anos. Muda um, dois ou três jogadores. Nós formamos a nossa equipe este ano, mas temos que passar por cima disso. Vai ser um jogo de superação e temos que ter responsabilidade e personalidade porque o Sport depende de títulos.
Por Recife - GLOBOESPORTE.

Ananias, recuperado de uma conjuntivite, está à disposição do treinador (Foto: Elton de Castro).

Ananias volta aos treinos e vira opção do Sport para decisão contra Ceará.

Após recuperar-se de lesão e conjuntivite, atacante está novamente apto a jogar.

Mais de 15 dias depois de lesionar a coxa direita, no segundo clássico contra o Santa Cruz do ano – válido pela Copa do Nordeste -,  o atacante Ananias, enfim,  voltou aos trabalhos com bola. Pelo cronograma, o retorno teria de acontecer antes. Mas o atleta foi acometido por uma conjuntivite logo após se recuperar da contusão muscular. Ele participou do treino coletivo contra os juniores, na tarde desta segunda-feira, na Ilha do Retiro, mas não se destacou entre os garotos.

Em pouco mais de 40 minutos, Ananias não chamou atenção. Depois de começar jogando como meio-campista, foi deslocado para a ponta, como vinha atuando entre os titulares do Sport, aos 22 minutos. Foi aí que passou a ser mais efetivo, mas sem sobressair.

A volta de Ananias esta semana cai como uma luva para o técnico Eduardo Baptista, que não poderá contar com o atacante Felipe Azevedo no primeiro jogo da final da Copa do Nordeste, contra o Ceará. Expulso na semifinal contra o Santa Cruz, Azevedo é o único desfalque dos rubro-negros para a partida da próxima quarta-feira.

- Estou bem. É claro que ainda não estou 100%, porque tive alguns contratempos depois da minha lesão como uma conjuntivite, mas estou preparado para ajudar meus companheiros nesta batalha contra o Central - disse Ananias.

Além de um provável substituto de Felipe Azevedo, Ananias pode entrar no meio de campo, já que Aílton não tem agradado e Renan Oliveira, que não tem ido bem no Campeonato Pernambucano, foi contratado depois do prazo limite das inscrição da competição.

Os jogadores que foram titulares do Sport no clássico do último domingo, contra o Náutico, fizeram apenas um trabalho regenerativo na academia do clube.

Com isso, o coletivo, que teve a participação apenas do time reserva, tinha Flávio; Bileu, Oswaldo, Meza e Igor; Rithely, Wendel e Ananias; Danilo, Érico Júnior e Joelinton. Além deles, entraram ainda no segundo tempo da atividade Naldinho, Welton, Marcelo Cordeiro, Everton Felipe, Ronaldo, Sandrinho e Robert Flores.

Por Recife - GLOBOESPORTE.

Apesar das opções para o meio, E. Baptista aprova improviso no setor.

Felipe Azevedo foi aprovado no meio de campo (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press).

Treinador gosta da atuação do atacante Felipe Azevedo no setor de criação mas não poderá contar com o atleta contra o Ceará, pois o jogador está suspenso.

Ailton, Renan Oliveira e Robert Flores. Na teoria, são essas as peças do técnico Eduardo Baptista para o setor de criação da equipe. No entanto, o baixo aproveitamento dos atletas fez com que o treinador optasse por escalar Felipe Azevedo no meio de campo, na derrota para o Náutico. Opção que, segundo o técnico, satisfez as suas expectativas.

- Felipe Azevedo conseguiu dar uma boa dinâmica ao meio de campo. Foi um atleta que nos ajudou bastante, mas tive que puxá-lo para o ataque depois. Estamos testando algumas situações e essa me agradou.

Mesmo tendo aprovado a atuação de Azevedo, Eduardo Baptista não escondeu que ainda não conseguiu definir quem atuará no meio de campo do Sport, para o duelo contra Ceará, nesta quarta-feira. 

- Ainda estou analisando algumas situações. Peço para que os meias tenham um bom passe e tenham muita movimentação. Estou quebrando a cabeça, para que a gente possa evoluir ainda mais na temporada.

Sem poder contar com Renan Teixeira para o duelo contra o Ceará, pois o atleta não está inscrito na Copa do Nordeste, e Felipe Azevedo, suspenso, a tendência é que Eduardo Baptista escale Ailton como titular para a primeira partida contra o Alvinegro.

GLOBOESPORTE

Náutico, Sport, Santa e Salgueiro iniciam semifinais do PE no domingo.

Santa e Sport se enfrentarão mais duas vezes este ano (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press).

Jogos de ida estão marcados para o dia 06 de abril; Já os de volta sofreram uma alteração: Náutico e Salgueiro jogam dia 12, Sport e Santa duelam um dia depois.

O fim da primeira fase do Campeonato Pernambucano restringiu o número de postulantes ao título. De seis, sobraram apenas quatro, que irão duelar em dois jogos nas semifinais, para que sejam conhecidos os dois grandes finalistas. As semifinais, que terão Náutico, Sport, Santa Cruz e Salgueiro, começam a ser disputadas no domingo, dia 6. O jogo da volta entre alvirrubros e salgueirenses, na Arena Pernambuco, foi antecipado para o sábado, dia 12. O segundo confronto entre Sport e Santa permanece inalterado, no dia 13, na Ilha do Retiro. 

Antes mesmo da mudança ser divulgada de forma oficial, a direção do Náutico já esperava que a data da segunda semifinal fosse alterada. O técnico Lisca chegou a dizer que o melhor dia para enfrentar o Carcará na Arena Pernambuco não seria o sábado, como escolhido pela FPF.

- O ideal para nós seria jogar na segunda-feira à noite. Mas isso está nas mãos da diretoria. Eles que decidem qual a melhor logística para a gente.

Líder da primeira fase com 20 pontos conquistados, o Náutico conseguiu fugir da possibilidade de disputar um clássico contra Sport ou Santa Cruz mas, em compensação, precisará fazer uma viagem de mais de 500 km para enfrentar o Salgueiro, no próximo domingo.

Nas mesmas datas, Santa Cruz e Sport se enfrentarão mais duas vezes nesta temporada. Serão os quinto e sexto encontros entre as equipes dos técnicos Vica e Eduardo Baptista. Já foram dois pela Copa do Nordeste e dois pelo próprio Campeonato Pernambucano, com três vitórias para o Leão e um empate.

Por terem terminado nas primeiras colocações, Náutico e Sport entram nas semifinais com vantagem. Curiosamente, fugindo das regras dos mata-matas pelo Brasil, os gols marcados na casa dos adversários e o saldo de gols não entrarão na disputa. A única vantagem de alvirrubros e rubro-negros será a de fazer o último jogo em seus estádios.

O regulamento do Campeonato Pernambucano também prevê uma situação inusitada. O time que for derrotado na primeira partida, independentemente do placar, poderá ganhar de qualquer resultado para levar a decisão para os pênaltis. O critério se repetirá também na grande final, que será disputada nos dias 16 e 23 de abril.
 
Por Recife - GLOBOESPORTE.

Com três vitória do Náutico, Lisca é o algoz do Sport nesta temporada.

Lisca já analisa semifinais do Campeonato Pernambucano (Foto: Antônio Carneiro / Pernambuco Press).

Técnico tem um aproveitamento de 80% sobre os rivais, mas lembra que vantagem que leva para semifinais por ter sido primeiro do hexagonal é quase insignificante.


Foram quatro jogos contra o Sport. Três vitórias do Náutico e uma derrota. O técnico Lisca vibrou com o fato de ter um aproveitamento de 80% contra o rival este ano. Porém, o treinador fez o alerta. Apontou a vantagem de decidir as semifinais e uma possível final na Arena Pernambuco como muito pequena. Em seus domínios, o Timbu acumula três vitórias, um empate e uma derrota no Campeonato Pernambucano.

- Se fosse todo mundo contra todo mundo, se fosse pontos corridos, assinava agora. Infelizmente, o campeonato não termina para nós hoje. Somos líderes, mas a vantagem é mínima. Até porque nosso rendimento em casa é menos de 50%. Fora, mais de 60%.

Fora de casa, o Náutico não perdeu no estadual. Foram dois empates e três vitórias. Mas, com um discurso comedido, Lisca lembrou da derrota sofrida diante do Salgueiro, por 2 a 0, em plena Arena Pernambuco, pela quinta rodada. 

O treinador disse ainda que, pelo regulamento do campeonato, não existe vantagem nos gols marcados fora de casa. Caso o Carcará vença o primeiro jogo de 1 a 0 e o Timbu vença o jogo da volta por 3 a 0, a classificação será decidida nos pênaltis.
 
- É um regulamento traiçoeiro porque os gols fora de casa não valem. Levando em consideração o que aconteceu no hexagonal, decidiríamos com o Salgueiro nos pênaltis só para vocês verem como ele é complicado. Se nós conseguirmos passar pelo Salgueiro, aí podemos chegar em uma final com méritos. Faz tempo que o Náutico não chega em uma final.

Apesar de adotar um discurso polido, o treinador fez questão de ressaltar a força que o Náutico mostrou nos dois últimos jogos do Campeonato Pernambucano, nas vitórias sobre o Salgueiro e a deste domingo, diante do Sport.

- Pouca gente acreditava no Náutico, eram dois jogos fora. Mas nos últimos seis pontos disputados, conquistamos os seis. Vencemos os dois jogos. Agora temos de ter brio e sangue nos olhos daqui para frente.
 
Por Recife - GLOBOESPORTE.

Após mais uma atuação fraca, Renan Oliveira custa a engrenar no Sport.

Renan Oliveira Sport (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press).

Meia chegou com status de atleta que ia resolver o problema de criação do Leão, mas na partida contra o Náutico, novamente, não conseguiu se achar em campo.

Durante os 65 minutos que esteve em campo, o meio-campo Renan Oliveira carregou a esperança do torcedor do Sport, que via nele a possibilidade de uma jogada diferenciada, que evitasse a derrota por 1 a 0 para o Náutico, no domingo passado. Expectativa justificada pela forma como o atleta chegou ao clube. Vindo do Atlético-MG, o armador foi apresentado como  aquele que seria responsável por dar qualidade ao meio de campo leonino. 

Com a bola nos pés, o atleta, mais uma vez, não conseguiu corresponder às expectativas e acabou sendo substituído aos 20 minutos do segundo tempo,  vaiado pelos rubro-negros que acompanhavam a queda do Sport para o Náutico, em plena Ilha do Retiro.

Escalado inicialmente na partida como atacante, o jogador reconheceu que não conseguiu realizar um bom primeiro tempo. E revelou ter tido dificuldades para executar a função tática.

- Comecei o jogo aberto pelas laterais e tinha que descer marcando o lateral do Náutico. Isso dificultou um pouco. Não consegui realizar um bom primeiro tempo, mas depois cresci na partida, como todo o time. Acho que fomos bem, mas infelizmente não conseguimos a vitória.

Com o atleta mal na primeira etapa, Eduardo Baptista decidiu reorganizar o sistema ofensivo do Sport. Com isso, Felipe Azevedo, armador na primeira etapa, trocou de posição com Renan Oliveira. A opção, no entanto, não influenciou a participação do jogador, que acabou sendo substituído por Ailton.
 
Por Recife - GLOBOESPORTE.

Náutico bate o Sport na Ilha do Retiro e garante primeiro lugar no hexagonal.

Marcos Vinícius garante vitória e primeiro lugar para o Náutico (Foto: Antônio Carneiro / Pernambuco Press).

Marcos Vinícius entra no 2ª tempo para marcar o único gol da partida; Timbu encara o Salgueiro e o Sport terá mais clássicos contra o Santa.

O Náutico não foi brilhante. Longe disso. Esteve mal na maior parte do clássico contra o Sport, neste domingo, na Ilha do Retiro. Mas, aos 29 minutos do 2º tempo Marcos Vinícius se tornou protagonista do duelo ao marcar o gol que garantiu a vitória por 1 a 0 para o Timbu. O resultado fez a equipe alvirrubra terminar o hexagonal com a primeira colocação e com a vantagem de fazer a decisão na Arena Pernambuco. Ao Leão, coube se contentar com o segundo lugar e encarar mais dois clássicos contra o Santa Cruz pelas semifinais.
 
A equipe comandada por Lisca vai encarar o Salgueiro, que venceu o Porto, e assegurou a quarta colocação. O primeiro duelo pelas semifinais será no próximo domingo, no Sertão.

O Leão, antes de pensar nas semifinais do Pernambucano, tem ainda a primeira decisão pela Copa do Nordeste na quarta-feira contra o Ceará, na Ilha. Só depois vai pensar na partida contra o Santa, domingo, no Arruda.

Sport domina o primeiro tempo do clássico

Mesmo com jogadores pendurados, os técnicos de Sport e Náutico estavam era de olho na primeira colocação do hexagonal e entraram em campo com força máxima. A única exceção foi Marcos Vinícius, que ficou como opção no banco timbu. Nos primeiros 45 minutos, o Leão foi muito superior em campo e, consequentemente, chegou mais vezes ao ataque - principalmente em jogadas com Neto Baiano, que teve duas boas chances de abrir o placar, mas parou no goleiro alvirrubro.

Além do artilheiro leonino, Felipe Azevedo e Bruninho – que formaram o trio ofensivo do Leão – também chegaram com perigo. Na melhor delas, aos 29 minutos, Bruninho foi lançado e bateu firme da entrada da área. Alessandro fez boa defesa e na sobra, Ewerton Páscoa mandou por cima do gol.

Acuado, o Náutico até chegou a arrancar um grito de gol da torcida quando Zé Mário, numa cobrança de falta logo aos 5 minutos, mandou a bola na rede pelo lado de fora. Até o técnico Lisca chegou a comemorar. Depois disso, só mais um chute sem perigo de Marcelinho e uma lesão muscular que tirou Elicarlos de campo aos 43 minutos.

Marcos Vinícius entra e se torna protagonista do clássico

Como o empate favorecia o Sport, Lisca abriu mão de preservar o único pendurado do time e voltou para o segundo tempo com Marcos Vinícius na vaga de Marcelinho. E 10 minutos depois precisou fazer mais uma mudança ao perder Marinho, também por conta de uma lesão muscular. Paulo Júnior entrou.

As mudanças foram decisivas para o Náutico. Além de renovar o fôlego do ataque, Marcos Vinícius começou a se tornar protagonista do clássico aos 29 minutos. Zé Mário cobrou uma falta para a área e, de cabeça, o jovem meia alvirrubra mandou para as redes. Na comemoração, ele acabou tomando o cartão e está fora do próximo jogo.

O gol reacendeu o Sport, que já havia chegado perto aos 14 minutos, quando Raí salvou uma cabeçada de Ferron em cima da linha de gol. Aos 31, o zagueiro apareceu novamente de cabeça, mas desta vez foi impedido pelo travessão. A partir daí, a equipe de Eduardo Baptista se lançou toda ao ataque, mas de forma desorganizada e explorando sempre cruzamentos para a área. Todos sem resultado.

Por Recife - GLOBOESPORTE.

Pedra vê dura disputa na meia há 30 dias do retorno aos treinos no Sport.

Pedra está na fase final de trabalhos de fortalecimento muscular. Volta a treinar em 30 dias (Foto: Elton de Castro).

Volante, titular na temporada passada, está há quatro meses se recuperando de uma lesão no joelho esquerdo. Pela frente, prevê dura concorrência com Mancha e Páscoa.


Lá se vão quatro meses tratando uma lesão no ligamento cruzado do joelho esquerdo, que o tirou dos gramados em novembro. Período em que Anderson Pedra conviveu com uma desgastante rotina de exercícios físicos e fisioterapia enquanto via o grupo preparando-se para a temporada. Agora, faltando 30 dias para retornar aos trabalhos com o restante do elenco, o prepara-se para outro desafio: superar a forte concorrência no meio de campo do Sport. Quando saiu de cena, na Série B, o jogador tinha Tobi como concorrente direto, que apesar de atuar como volante, preferia a zaga. Agora, para voltar a atuar, terá que vencer a concorrência com Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa, Rithely, Wendel e Ronaldo, sempre elogiados pelo técnico Eduardo Baptista.

A futura disputa, no entanto, não abala o jogador. Fortalecido pelo drama da lesão, Anderson Pedra não vê problemas em entrar numa disputa tão acirrada. Mesmo reconhecendo que estará em desvantagem, o volante só pensa em voltar a atuar.
 
- Quando cheguei achava estranho o fato de o Sport só ter um jogador da minha posição. Isso não é normal. Agora temos atletas que estão fazendo uma grande temporada e sei que estarei em desvantagem na questão física. Talvez, com a parada para a Copa do Mundo, consiga igualar. Mas isso não é problema. Para quem ficou quatro meses longe dos gramados e ficará mais um tempo, o importante é voltar a ter condição de jogo e buscar uma oportunidade. São muitos jogos e, certamente, terei chances. Caberá a mim não deixar passar.

Nos últimos estágios de recuperação, Pedra convive com uma situação considerada a mais desgastante do tratamento: correr ao redor do gramado, em dias de treino. Angustiado para voltar, não consegue disfarçar o incômodo.

- A pior coisa que existe é ficar correndo do lado do pessoal. Você fica com vontade de participar e não pode. Principalmente agora, que estou fazendo praticamente todos os movimentos. Até pedi para não correr no campo, mas tinha que fazer. Estou seguro nos movimento e querendo voltar. Mas tenho que esperar mais um pouco.

Apesar do desejo de retornar o quando antes, Pedra precisará fortalecer os ligamentos operados. De acordo com o médico do clube Stemberg Vasconcelos, o atleta está na fase crucial da recuperação.

- Para o atleta, esse período é angustiante. Eles podem fazer tudo, mas não podem jogar. É um período para fortalecer a região operada para que não exista outra lesão no retorno. Então, esse período é fundamental.

Anderson Pedra - Sport (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press) 
Anderson Pedra machucou-se num treino em novembro do ano passado (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press).
 
Animado com o resultado do tratamento, Anderson Pedra acredita que conseguirá conquistar a confiança de Eduardo Baptista assim que ganhar condições de jogo.

- Estou confiante. O tratamento foi muito bom e agora dependerá de mim. Vou buscar o meu espaço e tenho certeza de que tenho condições de ajudar o Sport nesta temporada.
 
Por Recife. - GLOBOESPORTE.

Em meio ao equilíbrio, Sport e Náutico buscam primeiro lugar do hexagonal.

Em mais uma batalha, a quarta no ano, Willian Alves e Ailton vão de novo estar em ação (Foto: Aldo Carneiro / PE Press).

Em novo Clássico dos Clássicos, na Ilha, rivais duelam para encerrar segunda fase do estadual no topo. Santa Cruz corre por fora e torce por empate dos adversários

O equilíbrio marca o quarto encontro entre Sport e Náutico desta temporada, segundo pelo Campeonato Pernambucano, às 16h deste domingo, na Ilha do Retiro. Empatadas em número de pontos, 17, apresentam o mesmo aproveitamento: cinco vitórias, dois empates e duas derrotas. De tão iguais, nada mais justo que entrem em campo, esta tarde, para decidir a liderança final do hexagonal do segundo turno, que pertence ao Rubro-Negro, pelo saldo de gols (dez a seis).

Por fora, é bom lembrar, o Santa Cruz, o terceiro, com 15, torce pela igualdade entre os adversários e por um triunfo sobre o Central para encerrar a fatura no topo da tabela. O melhor entre os três grandes do Recife ganha o direito de definir em casa as partidas das finais.

Não bastasse a luta pelo primeiro lugar, o confronto é cercado pela rivalidade acentuada na atual temporada. Nos três primeiros confrontos, provocações de parte a parte entre Lisca e Neto Baiano quase acabaram em vias de fato. No entanto, desta vez, o discurso de ambos reflete um desejo de que a temperatura fora de campo dê uma diminuída. A intenção é que só o futebol seja exaltado desta vez.
 
- Não tenho nada o que falar fora do futebol. Nos últimos clássicos falamos muito de coisas sem importância. Agora, vamos focar o futebol – disse Eduardo Baptista.

A postura apaziguadora encontrou eco no técnico do Náutico. Tentando aparar as arestas com Neto Baiano, o treinador elogiou o rival e disse que as equipes entraram em campo com o único intuito de buscar a liderança da competição.

- Sport e Náutico são entidades centenárias. O maior respeito que você pode ter pelo adversário é fazer de tudo para ganhar a partida com muita responsabilidade. Tem muita coisa ainda para ser feito - disse o técnico Lisca.
 
Por Recife - GLOBOESPORTE.

Sport denuncia L. Gamalho por lance no clássico e atacante se defende.

Ferron foi atingido em um dos lances com o atacante Léo Gamalho do Santa (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press).

Departamento jurídico rubro-negro denuncia atleta tricolor por cotovelada em Ferron, em um jogo da Copa do Nordeste; Jogador reclama: 'Não vejo sentido nisso'.

Depois quatro clássicos em um período de 20 dias, o duelo entre Santa Cruz e Sport parece não ter data para acabar. Isso porque o departamento jurídico do clube rubro-negro entrou com uma ação no Tribunal de Justiça Desportiva de Pernambuco denunciando o atacante tricolor, Léo Gamalho, por um lance com o zagueiro Ferron no segundo jogo, válido pela Copa do Nordeste.

O lance entre Léo Gamalho e Ferron aconteceu ainda no primeiro tempo da partida. Em uma bola aérea, o atacante do Santa Cruz subiu com os braços abertos e acabou acertando o zagueiro do Sport com o cotovelo.

Irritado com a suposta agressão do jogador tricolor, o vice-presidente jurídico do Sport, Arnaldo Barros, acionou o Tribunal de Justiça Desportiva, para que Léo Gamalho seja punido.
- Entramos com um pedido para que o atacante do Santa Cruz seja punido. Ele agrediu o nosso jogador e isso gera uma punição de quatro a 12 jogos, por agressão.

Se punido, o atacante poderá ser suspenso de jogos da Série B e da Copa do Brasil. O STJD ainda irá marcar a data do julgamento. A atitude do departamento jurídico do Sport de denunciar o atacante deixou o jogador do Santa Cruz bastante chateado. Já ciente de que precisaria se defender na esfera jurídica, Gamalho classificou a atitude como sem sentido.

- Não vejo muito sentido nisso. Foi na Copa do Nordeste, uma outra competição, e eu não entendo porque o Sport quer fazer isso. A gente não vai se enfrentar pelo Campeonato Brasileiro e eu não vou ser punido no Campeonato Pernambucano.  

Léo Gamalho aproveitou ainda a oportunidade para se defender do lance e confessou ser amigo particular do zagueiro Ferron.

- A gente sempre tem respeito pelo adversário que está dentro de campo. Ferron é meu amigo particular. Não tive intenção nenhuma. Foi um movimento que eu fiz e que pegou nele. Fico muito chateado porque posso ser julgado por uma coisa que eu não tive nenhuma intenção.

O departamento jurídico do Santa Cruz foi procurado pela reportagem do GloboEsporte.com na noite da última quinta-feira e garantiu que o clube ainda não havia sido notificado de nada. Nesta sexta-feira, os telefonemas não foram atendidos.
 
Por Recife. - GLOBOESPORTE.

Sequência de clássicos do Sport mexe com Magrão: 'Nunca vivi isso'.

Magrão jamais disputou tantos clássicos em tão pouco tempo (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press).

Há uma década no clube, goleiro analisa maratona contra rivais neste início de 2014.

Domingo, contra o Náutico, na Ilha do Retiro, o Sport chegará ao 20º jogo no ano. E ao oitavo clássico. Tendo como ponto de partida a estreia na temporada, dia 19 de janeiro, o  Leão possui média de um clássico a cada oito dias. O saldo aproximado é de um grande confronto a cada duas partidas. Overdose de rivalidade, em pouco mais de dois meses. Um cenário completamente incomum, até para quem respira o Sport dentro das quatro linhas há uma década. Em sua décima temporada na Ilha, o goleiro Magrão jamais vivenciou algo parecido.

- Estamos tendo muitos clássicos no começo do ano e isso, para mim, é novidade. Nunca vivi isso na minha vida. Talvez, esse seja um dos motivos que fazem com que a torcida não tenha lotado mais esses jogos – afirmou Magrão. 
 
Contra o Santa Cruz, na última quarta-feira, os rivais jogaram para um público de 13.489 torcedores no Arruda.

- Em clássico a concentração é maior, pois a cobrança é maior. Não estou desmerecendo os clubes do interior, mas é inegável que o clássico mexe mais. As pessoas nas ruas cobram mais e isso faz com que seja diferente. Nos últimos dias estamos sendo muito cobrados, pois é clássico toda hora – disse o goleiro.

O acúmulo de grandes jogos se deve ao novo formato do Campeonato Pernambucano combinado com a disputa em paralelo da Copa do Nordeste. No estadual deste ano, o Sport - assim como Náutico e Santa Cruz - só entrou em cena a partir do Hexagonal do Segundo Turno. Só três times do interior tiveram o privilégio de enfrentar os grandes da capital: Salgueiro, Central e Porto.

A maratona de clássicos é consequência da mudança feita no Pernambucano justamente para facilitar a vida do Trio de Ferro. Sem a necessidade de confronto com a maioria dos clubes menores, Sport, Náutico e Santa tiveram o número de jogos reduzido no estadual. Mas a sequência de clássicos irá continuar nas fases finais.

Apesar do saldo positivo do Sport nos clássicos disputados na atual temporada - quatro vitórias, duas derrotas e um empate -, Magrão se mostrou um crítico à atual edição do Pernambucano.

- De dois anos para cá, o Pernambucano caiu um pouco. Parece que a tabela é feita para que os times de Pernambuco não cheguem à final da Copa do Nordeste. Este ano foi complicado.

Os 7 clássicos do Sport em 2014

Sport 0 x 1 Náutico - Copa do Nordeste - 23 de janeiro
Náutico 0 x 3 Sport - Copa do Nordeste - 2 de favereiro
Náutico 2 x 1 Sport - Campeonato Pernambucano - 27 de fevereiro
Sport 3 x 0 Santa - Campeonato Pernambucano - 6 de março
Sport 2 x 0 Santa - Copa do Nordeste - 12 de março
Santa 1 x 2 Sport - Copa do Nordeste - 19 de março
Santa 1 x 1 Sport - Campeonato Pernambucano - 26 de março.
 
Por Recife.

sexta-feira, 28 de março de 2014

Eduardo Baptista segue com uma dúvida sobre escalação para o clássico.

Renan Oliveira briga com Danilo por vaga no time para o clássico (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press).

Para o quarto duelo contra o Santa Cruz, técnico do Sport realiza treino secreto e mantém dúvida no meio-campo: Renan Oliveira e Danilo brigam por uma vaga no time.

Após vencer o Santa Cruz em três oportunidades seguidas (duas pela Copa do Nordeste e uma pelo Pernambucano), o técnico Eduardo Baptista resolveu tentar surpreender o adversário no clássico desta quarta-feira, no Arruda. Para isso, apostou em fechar parte do treinamento desta - medida inédita deste que assumiu o comando da equipe. A princípio, a estratégia não foi revelada. Oficialmente foi dito que haveria uma conversa entre a diretoria e o elenco antes do treino, que só começaria às 16h. Quando os portões se abriram, o suor no colete dos atletas revelou que as atividades foram iniciadas antes.

Sem querer dar ênfase ao que foi feito longe das câmeras, Eduardo Baptista garantiu a existência da conversa e disse que utilizou o tempo, também, para realizar uma rápida movimentação tática.

- Não fechamos o treinamento. Tanto que todos tiveram acesso. O que aconteceu foi uma conversa entre a diretoria e o elenco e aproveitei para fazer um posicionamento que durou cinco minutos. Assisti ao jogo do Santa Cruz contra o Náutico e decidi posicionar o time. Mas nada que vá mudar muita coisa.

A versão do treinador foi parcialmente desconstruída pelo atacante Felipe Azevedo. Segundo o jogador, o grupo também preparou algumas jogadas ensaiadas para surpreender o Santa, mas ele não quis detalhar.

- Se eu falar isso (quem vai jogar) Eduardo me mata. Às vezes é interessante fazer alguma coisa longe da imprensa e da torcida, para tentar surpreender. Então, realizamos algumas jogadas ensaiadas e algumas situações nesse sentido.

Sem querer adiantar o time, Eduardo Baptista disse que ainda tem uma dúvida com relação ao perfil da equipe que irá atuar. 

- Ainda não defini a escalação, pois temos algumas dúvidas com relação a forma que iremos atuar. Se teremos mais velocidade, posse de bola ou marcação.

Caso opte por velocidade, o treinador poderá contar com o retorno de Renan Oliveira. Se a escolha for pela marcação, Danilo deverá atuar no meio de campo, função que atuou no clássico da semana passada.

Com isso, a tendência é que o Sport seja escalado com Magrão, Patric, Ferron, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa e Ailton; Renan Oliveira (Danilo), Felipe Azevedo e Neto Baiano.
Por Recife - GLOBOESPORTE.

Atletas do Sport dizem que próximo clássico será o mais importante.

Sport e Santa já se enfrentaram três vezes este ano (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press).

Leão já enfrentou o Santa Cruz três vezes, duas delas no mata-mata do Nordestão, mesmo assim jogadores alertam que jogo de quarta-feira vale a liderança do estadual.

Com a classificação já assegurada às semifinais do Campeonato Pernambucano, o jogos que acontecerão a partir de agora no estadual só vão servir para o Sport determinar sua colocação na tabela e definir seu adversário no mata-mata. Mesmo assim, os rubro-negros pregam total importância para o embate que vem por aí: O clássico contra o Santa Cruz, na próxima quarta-feira, no Arruda.

E mais: o discurso dos jogadores é de que este será o mais importante de todos os clássicos contra o rival já disputados até então. Em menos de um mês, Sport e Santa Cruz se enfrentaram três vezes. O primeiro deles levou o Leão à liderança do Campeonato Pernambucano. Os outros dois foram pelas semifinais da Copa do Nordeste. Em caráter decisivo, o peso do clássico desta quarta-feira cai. Mas não para o meia Ailton.

- Eu acho que o clássico que vem é o mais importante. Vale a liderança e a gente quer se classificar em primeiro. O próximo clássico é sempre o mais importante. Eu sei que passamos por mata-mata e jogos decisivos contra o Santa Cruz. Mas, para mim, é o mais importante porque vale a liderança.

Outro que também pregou este clássico como o mais importante de todos foi o lateral-esquerdo Danilo.

- Se é o menos importante? Este é o mais importante. Quando é clássico, temos que pensar assim. Ainda mais esse, que vale a liderança do Campeonato Pernambucano e que é muito importante para nós.
 
Por Recife. - GLOBOESPORTE.

Na lateral ou no meio, Danilo é outra opção versátil no grupo do Sport.

Danilo disputa vaga na lateral esquerda com Renê (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press).

Até de volante atleta aceita jogar. Bileu é outro do elenco que atua em duas posições.

Principal surpresa na escalação do Sport na vitória de 2 a 1 sobre o Santa Cruz, que levou os rubro-negros às semifinais da Copa do Nordeste, o lateral-esquerdo Danilo não esconde a ansiedade de poder enfrentar os corais novamente. E, mesmo sem estar confirmado, tratou de 'vender seu peixe'.

- O jogador tem que estar atuando independentemente da posição. Vejo dessa forma. Já deixei claro que quero atuar tanto na lateral como no meio de campo, até de volante. A última escolha é de Eduardo (Baptista) - disse Danilo.

No último clássico contra o Santa Cruz, Danilo atuou no meio como elemento surpresa. Renê foi o titular na lateral esquerda. Na vitória contra o Porto, por 1 a 0, no último sábado, Danilo substituiu Renê na ala. A disputa entre os atletas e a dúvida existem na cabeça do técnico Eduardo Baptista.

- Estamos pensando só no Pernambucano e focados nesta competição agora. O jogo contra o Ceará vai demorar. Temos de manter a regularidade, que já é uma característica nossa.

Sabendo que o Santa Cruz chega mais uma vez motivado para um clássico, por vir de uma vitória - o time coral venceu o Náutico por 5 a 3 no último domingo -, Danilo minimizou o fato e garantiu motivação por parte dos rubro-negros.

- O Santa Cruz ganhou do Náutico e ganhou bem. Isso motiva eles. Mas nós estamos bem mais motivados também. Não só eles. Nós ganhamos sábado e isso também conta a nosso favor.

No grupo do técnico Eduardo Baptista, outro jogador se destaca por atuar em mais de uma posição. Bileu chegou como volante, mas tem entrado nas partidas na lateral direita.
 
Por Recife - GLOBO ESPORTE.

Aílton diz que nada precisa mudar no Sport para 4º clássico contra o Santa.

Aílton diz que vai chamar a responsabilidade para si no clássico de quarta-feira (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press).

Clubes rivais já se enfrentaram três vezes, com três vitórias do Leão; no Arruda equipes farão o último encontro de uma sequência de quatro em menos de um mês.

Na próxima quarta-feira chegará ao fim a sequência de quatro clássicos contra o Santa Cruz em menos de um mês. As duas equipes já se conhecem muito bem: até aqui, disputaram um jogo  pelo Campeonato Pernambucano e outros dois pela Copa do Nordeste em um curto espaço de tempo. A tentativa de ainda tirar um coelho da cartola que possa surpreender o time coral foi refutada pelo meia rubro-negro Aílton. Para ele, basta o Leão ter mais vontade que o adversário que sairá de campo vencedor.

- Da nossa parte, nada tem que mudar. O único diferencial tem que ser a vontade. A parte tática está correta, porque a gente vem fazendo bem tudo o que vem sendo pedido pelo treinador. Acho que a única coisa que podemos implantar a mais é ter mais vontade que eles. Quem tiver mais gana, vai vencer esse clássico.

O meia fez seis jogos com a camisa rubro-negra no Campeonato Pernambucano. Destes, foi titular em cinco. Ele ainda é contestado por boa parte dos torcedores, afinal, os números não são tão satisfatórios. Na competição, Aílton ainda não marcou gols e só deu uma assistência para gol, na vitória sobre o Porto por 2 a 0, no Estádio Luiz Lacerda. Porém, ele minimizou a situação e avaliou bem o futebol que vem mostrando.

- Eu me avalio melhorando a cada partida. Quando eu não estou bem taticamente, procuro me superar fisicamente. Acho que, se eu fizer o que venho fazendo, com a ajuda dos meus companheiros, quem tem a ganhar é o Sport.

Se vendo em um bom momento, Aílton ainda afirmou que vai procurar ser o diferencial do Sport no Clássico das Multidões desta quarta-feira.

- Eu vou procurar chamar a responsabilidade e ter atitude nessa partida. Para vencermos o Santa Cruz, tem que ser assim. O objetivo sempre é a vitória.
 
Por Recife - GLOBOESPORTE.

Elenílson aprova atuação do Porto-PE contra o Sport: 'Surpresa agradável'

Thiago foi um dos que resistiram ao 'desmanche' (Foto: Aldo Carneiro/ Pernambuco Press).

Técnico do Gavião diz que gostou da personalidade da equipe, mesmo com derrota.

Se antes do jogo contra o Sport as chances do Porto-PE se classificar para as semifinais do Campeonato Pernambucano já eram mínimas, depois dele elas acabaram. Com o elenco desmanchado, o Gavião foi até a Ilha do Retiro enfrentar o Leão com um time formado por jogadores das divisões de base do clube, deixando a média de idade do time titular com 18 anos. E, apesar da descrença, a equipe acabou fazendo uma boa partida. Pelo menos é o que garante o técnico Elenílson Santos, que gostou do que viu no último sábado.

- Foi uma surpresa agradável. Eu não sabia como a molecada ia se comportar. Tinha um receio de a equipe entrar nervosa, ansiosa, e ter um placar mais elástico. Os meninos tiveram um comportamento bom, disciplina tática e conseguiram segurar o Sport e ainda teve o pênalti mal marcado. 

Foi desta penalidade que saiu o gol do Sport. Mardley derrubou Aílton e o árbitro Luiz Cláudio Sobral viu falta dentro da área. O atacante Neto Baiano bateu e fez o gol da vitória rubro-negra. Para Elenílson, existem resultados negativos que precisam ser elogiados.

- Tem derrotas que temos que parabenizar o elenco pela vontade, pela determinação. Fomos para o jogo com uma média de idade de 18 anos. O Danilo, atacante, tem 16. E o time mostrou muita personalidade. Fiquei contente.

Os jogadores tiveram o domingo de folga e voltaram aos treinamentos na tarde desta segunda visando a partida contra o Central, que será realizada nesta quarta-feira. Eles ainda trabalham no Ninho do Gavião na manhã desta terça e concentram no início da noite.
 
Por Caruaru, PE.

Recuperado, Ananias só reaparece no confronto entre Sport e Náutico.

Ananias está na transição e deve voltar no Clássico dos Clássicos (Foto: Elton de Castro).

Sem dor, meia ainda é desfalque contra Santa Cruz, mas está garantido ante Timbu.

As dores no músculo posterior da coxa esquerda incomodam Ananias há um bom tempo. No primeiro clássico das semifinais da Copa do Nordeste, contra o Santa Cruz, no dia 12 de março, o meia de lesionou. E não voltou mais a campo. O retorno está cada vez mais próximo. Nesta segunda-feira, o meia iniciou os trabalhos de transição.

- Ananias está na transição e se recupera muito bem. Não se queixa mais de dores e até nos surpreende nesse aspecto. Ele está bem mais solto - disse o médico Amilton Crócia.

Apesar da evolução no tratamento, Ananias vai seguir de fora da equipe. Contra o Santa Cruz, nesta quarta-feira, no estádio do Arruda, não vai atuar. Será o terceiro jogo seguido que se ausentará - além da partida que definiu a vaga na final da Copa do Nordeste, contra os tricolores, não participou do confronto com o Porto, no último sábado. Mas existe um prazo para que ele volte a ficar à disposição do técnico Eduardo Baptista.

- Para quarta-feira contra o Santa Cruz é difícil. Ele não reúne condições. Mas, para o fim de semana (contra o Náutico, no próximo domingo, na Ilha do Retiro), é bem mais provável que Ananias volte - completou Amilton.

Este ano, Ananias atuou em onze oportunidades. Foram quatro jogos pelo Campeonato Pernambucano. Três como titular. Na Copa do Nordeste, foram sete, sendo quatro entre os 11 atletas que iniciam o confronto. Até aqui, só marcou um gol, na vitória de 3 a 0 sobre o Náutico, pela competição regional.
 
Por Recife. - GLOBOESPORTE.